Blogueiro da MTV, Judão fala sobre a experiência do show de Demi em São Paulo

Pronto, consegui. Talvez não tenha sido numa distancia boa o suficiente pra que nos beijássemos e nos amássemos, como eu pretendia… Mas eu vi a Demi Lovato de perto. 🙂


Demorou uns 40mins além do horário marcado, o que significa que na nossa relação imaginária brigaríamos bastante, ainda mais depois do trânsito paulistano antes e, principalmente, depois do show. Mas, devo dizer, nem foi tanto culpa dela — com o calor e uma relativa super-lotação com a galera se amontoando e espremendo quem estava mais à frente, não havia segurança pro início do show.

Talvez se tivessem sido vendidos menos ingressos, e/ou um espaço no meio da pista, tudo tivesse sido mais simples, rápido e eu não precisasse discutir a relação com aquela linda.

E meu deus, como ela é linda.

Logo na primeira música, “All Night Long” (e não “So far so great” como eu sinceramente esperava, hehe), depois da entrada dos músicos da banda que, aparentemente, os “Lovatics” conhecem como se fossem seus irmãos, Demi demonstrou que ok, ela sofreu lá com o Jonas Brother, teve distúrbio alimentar, se cortou, brigou com a dançarina… Mas GOSTA da coisa. Assim, de verdade.

Rebolava, jogava o cabelo pra lá e pra cá, fazia carinha de quem tá gostando demais, sensualizava com o guitarrista e, enquanto isso, eu babava. :D~

Em duas músicas, “Who’s That Boy” e “You’re My Only Shorty” fez questão de falar, com aquele sorriso tão lindo, que tava aproveitando o Brasil e os garotos daqui (apesar de alguns cartazes “Lesbian for Demi”). Tá certo que é aquela coisa de show e ela fala isso EM TODOS OS LUGARES, mas depois que ela foi fotografada de biquini no Rio, quando chegou a trocar telefone com um cara (feio), não dá pra dizer que foi aquela coisa falsa. 😀

O som das músicas dela são até legais, um rockzinho legal de ouvir, animadinho em alguns momentos — e que, pelo menos ao vivo, precisam muito do apoio das backing vocals. O que me incomoda são as letras, sempre falando de um cara, do quanto sofre por amor, do quanto dói, enquanto a meninada presente se esbugalhaaaava na plateia. Foi assim na maioria das músicas e nos intervalos, quando ela conversava com o público. Explicava a história, conversava, fazia cara de choro… Tudo culminando em “Skyscrapper”, sua primeira música pós-rehab falando sobre ter perdido tudo, mas que vai se reerguer e tal.

Com milhões de cartazes dizendo “Stay Strong”, a menina cantou a música sentada na frente de um piano (eu não sei se ela tava tocando de verdade, haha), fez que chorou… Aí acabou, levantou, fez o cover de uma música do Lil Wayne, agradeceu e atendeu aos fãs cantando um cover de “Moves like Jagger”, música que não estava no setlist inicial.

E ela andava pelo palco todo, rebolava, usava BEM aquela bunda… Que coisa mais linda é essa menina. E gostosa. E carismática. Quando não tava intepretando a dor no coração, sorria, agradecia a todo momento os fãs, falava em português e, na primeira vez que o pessoal gritou o “Demi eu te amo” ela não só entendeu como pareceu realmente surpresa com aquilo. 🙂

Eu fui até lá com o único intuito de vê-la de perto, como já tinha dito aqui há algum tempo. E valeu a pena. Pude ficar num bom lugar, tranquilo, a uma distância ~deliciosa~, sem precisar ir até o “chiqueiro” de imprensa pra tirar fotos e, no fim, o show foi ok. Não conhecia nenhuma outra música além do tema de abertura de Sunny entre Estrelas, que não foi tocada, e Skyscrapper e tou até pensando em ouvir agora o resto do setlist — até porque os fãs, que não paravam um segundo de cantar, deram uma canseira no sistema de som… Então imagina. 🙂

O único problema mesmo é o pessoal 100% do tempo com celulares e câmeras filmando e fotografando algo que, depois, só eles vão identificar. Certa era a menina que, ao fundo da pista VIP, chorava copiosamente enquanto apontava o seu iPhone com case do Bob Sponja pro telão, gravando imagens melhores e não preenchendo o saco de ninguém.

AH SIM! A saída do Credicard Hall para a Marginal Pinheiros também é um outro problema. E com ambulância no seu ouvido AND falta de educação, então… Por sorte, na nossa relação imaginária, nos acertamos por conta do atraso inicial e, mesmo demorando 30mins pra andar tipo 20m, foi tudo mais leve e mais tranquilo. Ai ai, Demi… 😀

Setlist

All Night Long
Got Dynamite
Hold Up
Get Back
Catch Me/Don’t Forget
My Love Is Like a Star
Fix a Heart
Who’s That Boy
You’re My Only Shorty
Here We Go Again/La La Land
Lightweight
Skyscraper
How to Love
Moves Like Jagger
Together
Remember December

BIS
Give Your Heart a Break
Unbroken

 

Para conferir todas as fotos de Demi em São Paulo em nossa galeria clique aqui ou nas miniaturas abaixo: