Demi Lovato sobre: fama, as drogas, e a auto-mutilação

Matéria Por: Fabulous    
Tradução e Adaptação: Equipe Portal Lovato
Ela era a estrela lima da Disney que tinha tudo para uma carreira brilhante. Mas Demi Lovato acabou numa clínica de reabilitação depois da auto-mutilação.
Você não saberia disso vendo nossas fotos, mas Demi Lovato detesta que tirem fotos dela. A cantora de 19 anos de idade está em uma pose profissional, mas, seu alívio mesmo é quando a sessão acaba.
“Eu me senti desconfortável hoje”, admite ela. “Eu sei que têm ângulos ruins e que o fotógrafo pode tirar  fotos ruins, e isso me deixa insegura. Mas eu sou muito melhor do que eu costumava ser. Na minha primeira sessão depois do tratamento, entrei em colapso e fugi do estúdio. Então eu progredi. “
Isso ainda é pouco. Esta é a menina, que apesar de tudo, alcançou a fama como atriz de TV americana, quando ela tinha apenas sete anos de idade. Por aos 15 anos ela era uma estrela pop, anunciado como sucessora do trono da ex-estrela da Disney Miley Cyrus.
No entanto, por trás do sorriso radiante e bela voz, Demi, como estrelas infantis tantosas estava se auto-destruindo.
Bulimia – Ela tinha sofrido desde os 12 anos – seu corpo estava devastado, e então tinha a bebida, o abuso de cocaína, depressão e auto-mutilação.
Então, em novembro de 2010, ela teve um colapso público. Depois de dar um soco em uma dançarina em um avião durante uma turnê, Demi foi para reabilitação por três meses. Seguiram-se mais seis meses e quando ela estava tão desiludida com a indústria, ela resolveu sair.
Só agora, com seu terceiro álbum, Unbroken, é livre e se sente pronta para voltar ao centro das atenções – e falar sobre a cultura de brutal de Hollywood que quase a destruiu.
“Eu não estou dizendo que sou perfeita, ou estou curada, mas eu estou aprendendo a amar e me aceitar. Minha visão é mais positiva e estou feliz”, diz ela.
 Rodeada de seguranças e meia dúzia de bolsas da Topshop depois de uma tarde de compras, Demi, nascida em Albuquerque é cautelosa, mas sincera, agradável e livre das sequelas que você esperaria de uma celebridade que passou três meses numa clínica de reabilitação.
Todas as cicatrizes de sua auto-mutilação estão escondidas por tatuagens nos pulsos, que dizem que “Stay” e “Strong” – uma homenagem a seus fãs que a apoiavam.
Demi chegou às telas em 2005, interpretando Angela na série infantil Barney e Seus Amigos. Aos 14 anos, ela conseguiu o papel no filme da Disney Camp Rock e no programa de TV ”Sonny With A Chance.”
Ela fazia parte de um grupo exclusivo de atores adolescentes, incluindo os Jonas Brothers, Selena Gomez e Miley Cyrus, que – como Britney e Christina antes – tinha boa aparência e ficha de personalidade exigidas pela máquina da Disney.
Mas, quando o estrelato chegou, começou a sofrer com os bullies, na sua escola em Dallas, Texas.
 “Eles me chamavam de prostituta e me diziam que eu era gorda e feia. Eu não deveria ter escutado, mas eu levei isso a sério e isso me machucava. Eu pensei que talvez eu não tinha amigos, porque eu estava muito gorda”, lembra ela .
Então começou a passar fome, e qualquer coisa que comia, ela vomitava depois. Dentro de seis meses, ela tinha perdido mais de 13 kg e estava pesando 40 kg-  inaceitável para sua altura de 1,57m.
“Eu vomitava até seis vezes por dia”, diz ela. “Minha mãe estava preocupada, mas como eu estava atravessando a puberdade, ela achava que eu estava tendo surtos de crescimento, então ela assumiu que era por isso que eu estava mais magra.”
 
 Quando magreza não a fornecia amigos ou a felicidade que ela procurava, Demi buscou consolo nas drogas. Foi relatado que ela estava cheirando cocaína, mas Demi – consciente da influência em sua base de fãs jovens – é relutante em entrar em detalhes.
“É algo que eu realmente não quero falar”, diz ela pedindo desculpas. “O que posso dizer é que eu estava deprimida. Eu ia para o palco na frente de 18.000 pessoas e de repente ficava sozinha num quarto de hotel. Eu desabava e tentarva encontrar uma maneira de recriar esse sentimento, e ficar ‘para cima’
Com ajuda de Hollywood, tornou mais fácil para ela obter acesso a substâncias ilícitas.
 “Os promotores me davam drogas e álcool nos restaurantes ou clubes. Eles queriam que eu voltasse porque gostaria de ser vista lá. Eles foram, basicamente, beijando minha bunda”, diz ela, um lampejo de raiva brevemente interrompeu seu comportamento.
“Eu pensei que eles eram meus amigos. Eu pensei que estava me divertindo. Ser uma celebridade pode ser perigoso. Ninguém diz ‘não’. É por isso que tantos morrem de overdose. É definitivamente poderia ter acontecido comigo.”
Quando as drogas não acabavam com sua dor, ela se cortava. “Tudo começou com meus pulsos. Mas as pessoas viam e, assim eu começei a me cortar em lugares que dava pra ver“, diz ela.
“Você faz isso porque você sente muito ruim por dentro. Você não sabe como tirar aquilo de outro jeito.”
Demi – cuja mãe Dianna, era líder de torcida, se divorciou de seu pai Patrick quando Demi tinha apenas dois anos – assim, ela se sentiu incapaz de confiar em seus pais.
“Eu morreria se descobrissem”, diz ela. “Eles estavam preocupados, mas eu sabia que eles não entenderiam. Eu tive dificuldade para me abrir para os amigos. As pessoas estavam lá para mim, mas eu não usava-os. Se eu gostaria de ter usado? Sim”.
Em vez disso, ela se jogou em seu trabalho. Primeiro álbum de Demi, Don’t Forget, foi lançado em 2008. No ano seguinte, ela estrelou o filme da Disney, Programa de Proteção para Princesas, e lançou seu segundo álbum, Here We Go Again. Ela saltou para numero 1 nas paradas americanas.
“Eu fui do filme para o álbum, da turnê para a televisão e vice-versa”, diz ela. “Ser o centro das atenções não foi o começo dos meus problemas, mas isso não me ajudou. Eu nunca tirei mais de duas semanas de folga em quatro anos, e isso pesou pra mim.”
Depois de Demi bater em uma dançarina de apoio, Alex Welch, em novembro de 2010, porque ela acreditava que Alex tinha dito aos gerentes da turnê que ela estava se comportando de forma inadequada. Então, sua família, finalmente, reconheceu a extensão de seus problemas e a levou para a reabilitação.
“Não foi idéia minha, mas eu não lutei contra ela”, diz Demi.
Ela passou três meses na unidade de tratamento de Timberline Knolls em Illinois.
“Foi muito, muito difícil e assustador”, diz ela. “Eu estava com saudades de casa e solitária, e as vezes pensei ”foda-se”, eu vou embora. Mas minha mãe me disse que eu iria me arrepender. Esta era minha única chance.”
“Eu tinha 14 horas de terapia por dia. Eu escutava música e aprendi a tricotar.Quando finalmente sai, era como estar saindo da prisão.”
Após sua saída, em janeiro passado, ela tirou seis meses de férias, e gostou tanto que ela considerava ficar fora dos holofotes definitivamente.
“Eu não sabia se eu seria capaz de voltar ao trabalho, mas eu sabia que iria ficar entediada. Eu não conseguia me ver indo à universidade ou a trabalhando das nove às cinco.”
Em setembro passado, ela voltou ao palco no Hammerstein Ballroom, em Nova York. “Foi incrível”, diz ela. “Embora tivesse muita tentação, eu consegui.”
As canções de seu novo álbum refletem sua dor, e incluem ”For The Love Of A Daughter”, sobre os problemas entre Demi e seu pai depois que ele – aparentemente interessado em dinheiro de sua filha – fez uma série de entrevistas sobre ela.
A traição ainda é cru, e ela diz que não tem interesse em reconstruir um relacionamento com ele.
Left to right: with fellow teen stars Miley Cyrus and Selena Gomez; she's replaced her self-harm scars with tattoos; looking thin before rehab
Da esquerda para a direita: com sua colega adolescente, a estrela Miley Cyrus e Selena Gomez, ela substituí suas cicatrizes com tatuagens; parecendo magra antes da reabilitação

Um longo caminho

Demi não pretende retomar a agir até que ela esteja plenamente confiante. “Eu preciso estar segura com meu corpo antes de eu voltar para frente das câmeras. Qualquer pessoa em recuperação de um transtorno alimentar acharia isso difícil, e eu não estou pronta”, diz ela.
Ela admite que seu novo e impressionante tamanho de corpo 40-42 está levando algum tempo para se acostumar: “Depois de tanto tempo sendo magra, foi aterrorizante ser mais pesada. Mas eu sou uma garota naturalmente curvilínea hispânica, eu não me privo – Eu comi um Kit.. Kat ontem à noite, mas eu não como merd*  todos os dias. Eu tenho um serviço de refeições, que traz a minha comida para minha casa, então eu não tenho que pensar em ficar saudável. “
Embora ela já não beber mais, Demi admite que ela ja se cortou e vomitou depois deixou a reabilitação. “Eu tenho escorregado algumas vezes, mas cada vez eu aprendi com isso, e se tornou menos frequente”, diz ela.
Ela ainda é amiga de Miley Cyrus, e encontrou um aliado improvável em Cheryl Cole, que, depois de assistir um documentário recente
sobre problemas MTV Demi, twittouo seu apoio. “Eu estava tão animado. Eu adoraria conhecê-la”, . Atualmente solteira,
seus ex-namorados incluem Joe Jonas, 22, ator e Wilder Valderrama, 32.
“Eu não estou namorando ninguem. Eu amo ter um namorado, mas eu preciso ser segura comigo mesmo primeiramente”, diz ela.Apesar Demi ter tido uma vida de problemas com menos de 20 anos, ela insiste que não tem arrependimentos.

“Houve momentos eu gostaria de ter sido uma adolescente normal para que eu pudesse cometer erros e não ser examinado. 
Mas eu não choro a infância que nunca tive. Eu prefiro estar viajando o mundo e fazer álbuns que estar na escola. “
E, como para os provocadores que fizeram sua vida um inferno?
“Eu não acho que me preocupo com eles”, diz ela. “Eu não mudaria o que eu passei. Eu aprendi com eles e eles me fizeram mais forte.”