EXTRA TV: Demi Lovato se abre sobre seu diagnóstico de bipolaridade

No passado, Demi Lovato tem sido honesta sobre sua luta com vício de drogas, bulimia e doenças mentias. A cantora pop sentou com a reporter do Extra, Renee Bargh e se abriu sobre ser um dos 12 milhões de americanos que vivem com transtorno bipolar.

O diagnóstico veio quando ela tinha 18 anos de idade. Agora com 24 a cantora de “Confident” está ajudando a trazer consciência para a doença com a campanha “Be Vocal”. “Me deixando responsável pela minha saúde mental, me assegurando que estou cuidando de mim mesma, me assegurando que estou levantando minha voz para outras pessoas, tem um impacto positivo em mim.” Ela adicionou, “Representa algo que eu tenho, não representa quem eu sou.”

Ela compartilhou que acredita que o maior equívoco sobre ser bipolar é: “você está bem em um minuto e no próximo já não está mais, quando, na realidade, não é assim que funciona… Há um estigma muito negativo quando discutimos doenças mentais na America.”

Sobre cuidar de si mesma diariamente, ela revelou: “Eu levo um dia de cada vez e faço coisas para mim que me fazem me sentir bem, se é treinar que me faz me sentir bem, eu me certifico que eu tenha um bom treinamento, se é cuidar de mim mesma onde vejo meu terapeuta ou meu psiquiatra, eu me certifico que eu faça essas coisas para manter uma mente saudável.”

Aparentando feliz e saudável, Demi recentemente postou uma foto dela e seu suposto namorado, lutador de UFC Luke Rockhold nas redes sociais. Ela contou para Renee: “Sim, aquilo foi muito divertido.” Dizendo que ela é uma fã antiga do esporte, Demi admitiu: “Eu treino MMA sempre que vou treinar.”

Apesar de estar tecnicamente um uma pausa de sua carreira, Demi também revelou que está trabalhando em novas musicas! “Eu estou atualmente no estúdio”, ela confirmou. “Eu não sei realmente quando vou lança-lo – Vou lançar quando estiver pronto.”

Ela também está ocupada com o novo projeto da “Be Vocal”, uma coleção de fotos documentando pessoas reais vivendo com doenças mentias. Sobre o que ela espera que as pessoas vão ver com essa campanha, ela disse: “Há uma possibilidade de viver bem com doenças mentais. Você pode manter sua vida diária… Espero que, com essas imagens, eles vão substituir as imagens negativas que estão por ai hoje em dia.”

Fonte.